domingo, 30 de janeiro de 2011

TODO DIA VOCÊ FAZ TUDO SEMPRE IGUAL...

Dizem que a música “Cotidiano”, composta por Chico Buarque em 1976, mostra como era, naquela época, a vida de um homem que tinha que se submeter à mesma rotina diária de trabalho e que só contava com a esposa para sentir conforto e alívio da mesmice dos seus dias.  

Mais de trinta anos se passaram desde que a música foi composta e, de lá para cá, será que alguma coisa mudou no cotidiano das pessoas?

Como diz a música, a maioria de nós acorda em um horário fixo, sente o gosto de "hortelã" na boca ao escovar os dentes, toma café, vai para o trabalho, faz o que tem que ser feito, almoça, termina a jornada do dia, volta para casa, toma banho, janta e dorme. A essa rotina básica diária, alguns acrescentam atividades esportivas, educacionais ou de lazer, sempre em dias certos e com horários marcados.

Se você parar para pensar, verá que as rotinas fazem parte da nossa vida desde que nascemos, nos acompanham durante a infância, atravessam conosco a adolescência, entram na nossa fase adulta e serão parte da nossa realidade até o momento da nossa morte. Para muitas delas, nem ao menos questionamos se fazem sentido ou não...

Nunca ouvi ninguém se queixando que tem que escovar os dentes todos os dias, mas já vi muita gente reclamando do tédio que é fazer o mesmo trabalho de segunda a sexta. Também nunca conversei com alguém que sente falta do primeiro olhar que recebeu da mãe ao nascer, mas considera a falta do olhar apaixonado que ganhou no início do namoro como o primeiro sintoma do fim do relacionamento.

Se trabalho e relacionamento são as poucas rotinas que temos liberdade para escolher, por que será que são as que consideramos mais difíceis de suportar?

Talvez a resposta esteja na nossa dificuldade em mudar o mesmo.

Digo mudar “o mesmo” e não “do mesmo”... Parece confuso, mas a sutil diferença entre essas duas colocações é que, talvez, a segunda seja a mais fácil e, por isso, a primeira opção de todos.

Preferimos reclamar por fazer as mesmas coisas a aprender mais sobre as mesmas coisas que fazemos.  Escolhemos condenar o outro pela paixão que não mais recebemos a reconhecer o quanto dessa falta é consequência das atitudes apaixonadas que também deixamos de demonstrar.  

Rotinas não são ruins... Para mim, elas são a base que precisamos para olhar "o mesmo" de forma diferente, e, a partir daí, melhorar...

Se não for assim, corremos o risco de seguir a vida eternamente insatisfeitos, sempre mudando a parede, mas ainda batendo a cabeça com coisas que, na essência, nunca vão mudar...


O que você tem a dizer sobre isso? Deixe seu comentário...

12 comentários:

Meyre Lapido de Mattos disse...

Eu gosto da rotina do meu dia dia(quando nao preciso seguir, perco o rumo).Pra mim, rotina é como ler um mesmo livro várias vezes e sempre perceber alguma coisa que não tinha percebido antes.
Todo dia eu faço tudo sempre igual com um sorriso nos labios e muito amor no coração!

Anônimo disse...

ai Karina esta veio de encontro com uma briga interior que venho travando atualmente...
"""MUDAR a ROTINA""" recentemente li uma frase que não sai da cabeça..."Locura e fazer a mesma coisa todos os dias, esperando por um resultado diferente",,,
Li tambem em varios lugares que "só depende de nós"...então "nós" é foda viu...rsrsrsr
Renato Paiva

Adriana Otani disse...

Eu nunca achei que a rotina seja uma coisa ruim, desde que se goste do que se faz todo dia. A rotina, pra mim, é um sinal de que a vida está sob controle, que está onde você gostaria que ela estivesse ou, pelo menos, no caminho que você deseja que ela siga (isso não quer dizer que a vida deva ser um marasmo, que não devemos mudar). Buscar melhorar todos os dias pode fazer parte da rotina e, pelo menos pra mim, traz uma sensação de que as coisas não estão fugindo do meu controle. Mudar sempre é preciso, surpresas na vida também, mas ter as rédeas é fundamental.

Diego Rodrigues Alves disse...

Considero instigante a reflexão proposta.

Se buscarmos conceitos, antes de ``persnonificar`` as ideias acerca do tema, lembraremos que rotina, deriva do francês routine ou route, que quer dizer caminho.

O dicionário da língua portuguesa esclarece que pode ser caminho trilhado e sabido=rotineiro; hábito de fazer uma coisa sempre do mesmo modo; índole conservadora ou oposta ao progresso = conservadorismo ≠ inovação; sequência de instruções ou de etapas na realização de uma tarefa ou atividade.

Tomo a liberdade, diante das definições apresentadas de, gentilmente, discordar de Meyre na analogia que faz comparando a rotina com a leitura de um livro.

Entendo que a leitura repetida de um livro, com novos entendimentos e perspectivas é um grande processo de reflexão e de crescimento e isso é exatamente ``fugir`` da rotina.

Todos provavelmente já perceberam a velocidade assustadora de um ano novo para o outro. Quando eramos crianças tinhamos a sensação de que o natal demorava muito para chegar, ou proferiamos a frase ``as próximas férias da escola vão demorar muito!`` E demorava mesmo. A neurociência esclarece que isso acontece pois nosso cérebro já vivenciou essas situações por repetidas vezes (rotineiramente) por mais especiais que sejam.

Essa sensação acontece em diversas situações de nossa vida, em vários aspectos.

As recomendações mais aceitas são: FUGIR DA ROTINA E MUDAR TODOS OS DIAS. E podemos criar várias estrategias: escovar os dentes com a mão ñão dominante (seu cérebro terá que aprender a escovar o dente novamente), tomar banho de olhos fechados, tomar banho com a mão não dominante, mudar rotas, caminhos e horários (dentro do possível); com o parceiro(a), mudar os locais e estilos de comemoração para um aniversário de namoro ou casamento; comprar flores diferentes, com cores diferentes, buscar programas diferentes como cinemas, teatros, restaurantes exoticos, viagens e lugares inusitados.

Obviamente que o mundo capitalista e moderno nos obriga a pertencer a processos rotineiros porém, nossa criativade e fuga de normose, fará a diferença para que nossas rotinas sejam sempre novas.

Algém sugere outras atitudes que podemos assumir em nosso dia a dia para impedir a rotina?

Um grande abraço Karina!!!

Diego Rodrigues Alves
Gestão de Pessoas e Desenvolvimento

Marli disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Marli disse...

Hey Karina,
Excelente texto. Lembro-me até hoje do tema da minha redação de vestibular de 1987-88 que era `Ser humano, eterno instisfeito`. Parabéns

victor disse...

Todo dia a gente faz tudo igual e inclusive vivemos nossos pais (musica do belchior) e tem uma outra do legião urbana que fala do mesmo tema.

Pegando uma carona na neurociencia que o Diego citou, vale lembrar que as mulheres descobriram ha muito mais tempo como quebrar essa rotina, cada dia usam um baton de cor diferente, pintam o cabelo, enrolam alisam, usam terno, usam saia, mini- saia, saia longa e ai vai por ai e talvez seja por isso que a rotina delas não seja tão enfadonha como a dos homens.

Pobre homens que usam a mesma roupa todo dia, nem a barba os permitem usar. Voce vai a um evento e la estão eles de terno e gravata e barba feita TODOS IGUAIS já as mulheres... que lindas cada uma de um jeito e no proximo evento elas não repetem o mesmo modelo, são bem mais evoluidas.

Quebrar a rotina é fundamental, sair da zona de conforto é um desafio, viver não é preciso.

Beijo Linda Ká

Lucimara Fernandes disse...

Oi Ká,
Por mais que a gente reclame da rotina, ela é necessária para organizar os nossos dias e para produzir algo em nossas vidas. Muitas vezes reclamamos da falta de tempo quando estamos trabalhando, mas ao ficarmos com o tempo ocioso, não sabemos o que fazer com ele e acabamos fazendo quase nada.
Acho que o ideal é acrescentar novidades a nossa rotina e assim aproveitar melhor o nosso tempo, tendo a sensação de que prolongamos os nossos dias.
Quanto aos relacionamentos, as rotinas são ainda mais importantes para que a relação cresça, pois é no dia a dia que as pessoas vão se conhecendo e aprendendo a conviver uma com a outra. Porem, aqui vale a mesma receitinha citada acima, acrescentar sempre algo novo para apimentar a relação e manter a sedução.
Bjs e parabéns pelo post!

Carla Lamac disse...

É Kaka, a rotina faz parte da vida. E pra mim, ela não é tão ruim assim.
Todos os dias podemos fazer as mesmas coisas, mas nenhum dia é igual ao outro. Nós é que devemos aprender a ter um olhar mais amplo e deixar de mirar o chão, quando há tanto em nossa volta.
Se o cotidiano anda "massante", mude de caminho, sente em outra poltrona do ônibus ou da sua sala de aula. São mudanças simples que te levarão a enxergar novas paisagens e de repente, quem sabe, mudar completamente sua vida. Até que tudo vire rotina novamente!

OBS: antes tarde do que nunca.

Carolina C Souza disse...

Talvez um outro olhar:
Bom, rotina não está no meu vocabulário ultimamente..rs Tantas coisas novas acontecendo que não consigo ter o mesmo ritmo todos os dias. Se Deus tiver um gráfico com minhas atividades recentes verá que acabo fazendo 12h em 8h!!!rsrs
O que acho importante é se vermos que algo que sempre fazemos não está dando certo, por que não mudar? Mudar a rotina, ou seja, troca-la por outra mais adequada...

OBS: não esqueci de você nem do seu blog viu... realmente está corrido.

Beijos!!!!

Mir disse...

Oi Ka,gostei muito do assunto, pois foi um tema que nós conversamos quando vc veio aki em pvh...adorei viu..rotina..rotina..ela so se torna insatisfatoria para o homem quando ele não percebe que o que ele faz, nada mais é que a oportunidade de começar de novo diferente. bjs

Adriana Otani disse...

Já havia comentado, mas hoje recebi um texto via e-mail que me fez lembrar do seu texto na hora. O nome do texto é "Acomodação". A rotina, para quem só reclama dela e não faz nada pra mudar, é uma acomodação. Aí vai:

"Tudo bem, de vez em quando é preciso aceitar um emprego “meia-boca”. Assim, como também é possível, vez em quando, viver um romance problemático.
Sabe como é, a gente sofre de algumas carências…
Tem época da vida que até é aceitável aquele salário de fome,
aquela “humilhação” de ter que fazer o que não nos agrada.
Mas, eu vou te contar, o que tem de gente acomodada na situação ruim
não é brincadeira.
Vejo pelas ruas, noivados de 8, 9, 12 anos que acabam pelo tédio,
gente despedida do emprego depois de 20 anos no mesmo cargo,
gente amargurada com uma “raiva” de anos atrás, pessoas carregando mágoas tão bestas, que por vezes,
nem se lembram mais do motivo…

Acomodação é a derrota pessoal do ser humano, é a entrega dos pontos para o destino que cavamos com as próprias mãos. É a sepultura rasa do conformismo que enterra sonhos.
Por favor, ao ler esta mensagem, não a trate como mais um recado,
antes, pare para uma reflexão da preciosidade que é a sua vida.
Do tempo que não temos para jogar fora com besteiras.
Faça uma limpeza no seu “armário da vida”,jogue fora as mágoas passadas, os erros cometidos, o medo do nada, o medo de tudo.
Jogue fora as relações podres, humilhantes, o que desgasta só de falar, a “religiosidade falsa” que pede para tudo esperar…
É tempo de arregaçar as mangas e fazer, diante do salário miserável vá vender balas nas ruas, seja o seu patrão.
Diante do amor que humilha, diga NÃO, diga “CHEGAAAAAAAAAA“.
Parta para outra, a vida é feita de INFINITAS POSSIBILIDADES.
Não tenha medo de arriscar-se, de ser feliz. A Felicidade realmente dá trabalho, mas é esse trabalho que se traduz na alegria, é a conquista pessoal que te faz mais gente, uma pessoa melhor.
Não se ACOMODE EM NADA.

Se você tem uma família feliz, agarre-se a ela, valorize-a,
se não tem, é tempo de construi-lá.
O que você ainda está pensando?
Tá demorando por que?
Arregace as mangas e vamos lutar, e quem estiver contra você,
avise: sai da frente que o meu trem é potente!"