domingo, 6 de novembro de 2011

DÚVIDAS

Pra onde você vai quando não tem pra onde ir
Quando não tem pra quem voltar
E nem motivo pra partir?

O que é que você faz pra se levar a algum lugar
Se a vontade é desistir
E tudo insisti em caminhar?

Como é que você volta ao ponto de onde partiu
Aos sonhos que nunca teve
A tudo que resistiu?

Quando é que você aceita a vida como ela é
Se tudo não tem receita
Nem é do jeito que quer?

7 comentários:

Lucimara Fernandes disse...

Ká, adorei!
Identificação total... parece que está falando de mim...
Beijos

Alexandre Malosti disse...

Karina parabéns... reflexões sútis...

Patrícia Maura disse...

Ká, vc escreveu pra mim...
ótimo, e me colou para reflexão..
beijos

Meyre Lapido disse...

NA DÚVIDA

Quando não tenho pra onde ir
Volto pra dentro de mim
Revendo o que já vivi

Aceito os erros cometidos
E as coisas boas que fiz sentir
Admitindo que não tenho como fugir

Percebo que se estou aqui não é á toa
Que embora viver às vezes não pareça uma "boa"
Devo seguir mesmo assim

Porque se a vida nos desse uma receita
Não precisaríamos estar aqui!

Lucimara Fernandes disse...

Ká,
Adorei a poesia da Meiróca!! Está surgindo uma nova poetisa no grupo... rs. Concordo com você, vamos publicá-la na Teia de Ideias no próximo domingo e incentivá-la a continuar escrevendo, ok?
Beijos

victor disse...

Como voce é linda so poderia escrever lindas poesias. beijos

Marli disse...

Oi Karina, Pra quem está começando vc já parece PRO. Parabéns pra vc e Meyre também. Talvez vcs possam escrever juntas, uma seria o alter ego da outra e assim a poesia serveria pra todo mundo. Posso dizer que me identifico com ambas.