domingo, 12 de agosto de 2012

CORAGEM PARA SER VOCÊ MESMO

De todas as coisas que podemos nos arrepender na vida, acho que a pior delas é não ter a coragem de sermos nós mesmos.

Imagine ter vontade de falar algo, mas ter que se preocupar com o que as pessoas podem pensar.

Sentir medo de uma situação e, por receio de parecer fraco, sentir vergonha de se expressar.

Ter opinião sobre política, religião e futebol, mas achar melhor não compartilhar.

Gostar de ser cuidado por alguém, mas, para não ser rotulado de carente, não revelar.

Eu conheci um homem que preferiu ser verdadeiro.

Um homem que fazia amizades facilmente, pois em todo lugar que chegava - restaurantes, lojas, festas, cidades - fazia questão de cumprimentar quem estivesse por perto. Muitas vezes, abordava os desconhecidos chamando-os de "corintianos", uma ótima estratégia para quebrar o gelo. Quem era corintiano se encantava imediatamente com ele. Quem não era, já iniciava logo uma conversa esclarecendo qual era o seu time para ele nunca mais errar.

Sentia muito medo. De tudo. De viajar de avião, andar de elevador, de entrar na água, de encontrar um rato, de raios e trovões. Mas, apesar do medo que sentia, topava voar, poupava suas pernas de longos andares para chegar mais rápido por elevador, confiava que os gatos fariam a parte deles e entrava na piscina, ainda que sentisse muito frio dentro e fora da água.

Como sentia frio. Mesmo quando a temperatura estava alta, lá estava ele vestindo calça comprida e camisa, todo alinhado na beira do rio, no balneário, na rua, cuidando do jardim. Até hoje não sei se era frio mesmo o que sentia ou vergonha de mostrar as pernas branquelas.

Tinha opinião para tudo. Era ligado nos assuntos do momento e sempre tinha uma história do passado para comparar.

Às vezes - muitas vezes - era ranzinza com os cachorros e paciente com vizinho folgado, do tipo que joga lixo na porta da casa da gente. Como entender?

Finalmente, adorava os cuidados de sua esposa, que arrumava seu prato de comida, escolhia sua roupa, puxava sua orelha quando era teimoso. Tem gente que acha que ele era incapaz de fazer algumas coisas sozinho. Eu tenho uma teoria de que ele aproveitava esses momentos para sentir o carinho e amor que a Dona Martha lhe dedicava.

Se tem alguém que foi ele mesmo, sem se importar com o que os outros poderiam pensar, esse alguém foi Seu Ataíde Salessi, sempre de chapéu e com seu pente fino no bolso.

Com sua facilidade para se relacionar, poderia ter sido político, palestrante, vendedor...mas preferiu ser ele mesmo.

Acredito que todos que se vão deixam uma lição a quem fica.

Para mim, foram várias as lições deixadas por Seu Ataíde: assuma seus medos, mas enfrente-os com a coragem que poucos admitem precisar. Aproveite toda oportunidade para fazer novas amizades. Fale muito, mas tenha uma preocupação genuína pelos assuntos dos outros. E, principalmente, nunca tenha receio de assumir que precisa de alguém para cuidar de você.

4 comentários:

Meyre Lapido disse...

Karina

Parabéns pela sua sensibilidade ao descrever seu Ataide!
Eu acho que so tive contato com ele uma vez mas deu para perceber que ele era exatamente assim como vc o descreveu. Eu Tenho certeza que ele cumpriu muito bem o papel que lhe foi designado por Deus neste planeta!

Victor Salessi disse...

Oi meu amor, alem de lindo é verdadeiro seu texto. Muito obrigado por ter me confortado nesse momento tão dolorido, infelizmente não sou habilidoso com as palavras para poder comentar a altura seu texto, o que posso dizer! mais uma vez muito muito obrigado. Te amo

Alicio Souza disse...

Que texto lindo Karina!
É muito maravilhoso nos espelhar em alguém que nos ensina coisas boas. Percebi quando se referiu ao Senhor Ataíde salessi que foi descansar. Um homem de coragem de superação, mesmo com seus temores. De fato, sentimos grande alegria, aonde a alegria, gostamos de companhias agradáveis de está entre pessoas falantes, que domina de todos os assuntos um pouco em questão.
Como disse “todos que se vão deixam uma lição a quem fica”
Sim, Sim... Isto é verdade. Tenho sentido na pele um sentimento de perda. Meu amado pai me deixou um grande legado. Mas fui consolado por refletir melhor na questão da morte. Para onde vamos? O que somos? Por que morremos?
Não entrando em foco da religião. Pois neste assunto a milhões de ensinamentos.
Procurei consolo em um único livro sagrado. A Bíblia
De fato, fui consolado pela promessa de Jesus de que “todos os que estão nos túmulos memoriais” — os mortos que estão na memória de Deus — voltarão do sono da morte. (João 5:28, 29) A ressurreição é um ensinamento bíblico. A morte é o resultado do pecado que teve inicio com o primeiro casal humano. Romanos 5:12 “Por intermédio de um só homem entrou a morte... que se espalhou a todos...”
A vida véu através da morte de Jesus. João 11:25 “Eu sou a ressurreição e a vida”
É intrigante quando li nas escrituras em Eclesiastes 7:1 que diz, “Que o dia da morte é melhor do que o dia que se nasce” Mas como?
Mas associando outros contextos pude melhor compreender. Como o Salmos 116:15 “preciosa é a morte dos leais” entendo que aquilo que plantamos, que fazemos de bom está relacionado.
Outro texto como o de Romanos 6:23 “o salário pago pelo pecado é a morte” Entendo que o preço é muito alto pelo meus erros, quando morto extingue meus pegados.
Apocalipse 2:10 Destaca a fidelidade durante a vida, para ganhar “ a coroa da vida”.
Sendo assim aguardo um tempo em que poderei rever meus amigos e familiares novamente. O que me move? É a fé. Apocalipse 21:3,4 “um dia não haverá mais morte”
Todos nos ficamos triste quando alguém da família ou um amigo morre. Mas se estivermos, a esperança da ressurreição pode ser reanimadora. Devo admitir que essa esperança não elimina o sentimento de perda quando morre alguém que amamos.
O próprio Jesus ‘se entregou ao choro’ quando seu amigo Lázaro morreu. Mas essa esperança realmente alivia a dor.(relato bíblico de — João 11:14, 34, 35; 1 Tessalonicenses 4:13.
No mundo atual, não podemos esperar ficar alegres o tempo todo. A vida tem altos e baixos. E há ocasiões em que devemos ficar tristes, quando expressões de alegria são completamente inapropriadas.
Além disso, alguns talvez tenham de lutar contra a depressão, que pode ter muitas causas. No entanto, as promessas da Bíblia são muito consoladoras, e a sabedoria incomparável que encontramos nela pode ajudar-nos a evitar as muitas armadilhas que trazem infelicidade. Deus diz: “Quanto àquele que me escuta, residirá em segurança e estará despreocupado do pavor da calamidade.” — Provérbios 1:33.
Sem dúvida, Jeová está muito interessado em nosso bem-estar. Ele quer que sejamos felizes — não superficialmente, mas no íntimo, e não apenas por poucos anos, mas para sempre! É por isso que seu Filho fez essa declaração memorável: “Felizes os cônscios de sua necessidade espiritual.” (Mateus 5:3)
Seremos sábios se levarmos a sério suas palavras.
Meus sincero sentimentos.

Marcella Barbosa disse...

Este texto me faz lembrar de pessoas queridas que muito me ensinaram e já se foram. Há pessoas no mundo que nasceram para nos ensinar: a sermos pessoas melhores, a aprendermos a amar sem esperar nada em troca, a sonhar e acreditar.

Simplesmente maravilhoso e tocante.